História

O nome La Trappe origina-se da abadia francesa Notre-Dame de la Grande Trappe na Normandia Soligny-la-Trappe, também conhecida como La Trappe.

Volte no tempo e descubra a rica história de La Trappe Trappist.

1881

O estabelecimento de Onze Lieve Vrouw do Mosteiro Koningshoeven

Os monges trapistas franceses encontraram refúgio em Berkel-Enschot na província de Brabant, consistindo de algumas charnecas com casas de fazenda e um celeiro de ovelhas. As casas de fazenda eram chamadas de Koningshoeven (o que significa as casas de fazenda do rei na Holanda), em homenagem ao ex-dono Rei Willem II. No dia 5 de março de 1881, a primeira Santa Missa foi celebrada no celeiro de ovelhas, que foi convertido temporariamente em um monastério. Esta se tornou a data de estabelecimento oficial do mosteiro.

1884

Estabelecimento da Cervejaria trapista

Os trapistas precisavam de uma fonte de renda para dar-lhes suporte e cumprir as suas tarefas de caridade. É por isso que decidiram produzir cerveja. Até os dias de hoje a cerveja tem sido produzida de acordo com as regras de Trapista dentro da área deste mosteiro.

1891

Construindo uma nova cervejaria

Os monges começaram a construir uma nova cervejaria para pagar pela construção de um mosteiro,. Eles também construíram a torre de malte, que até o presente dia domina a vista da cervejaria.

1894

Construindo um novo mosteiro

A construção de um novo mosteiro foi paga com os lucros da cervejaria. Até hoje, a cervejaria e o mosteiro são uma combinação única de um estado industrial e religioso.

1928

Introdução da La Trappe Blond

A “La Trappe Blond” é introduzida, uma cerveja fermentada e clara com 4% de álcool.

1936

Fábrica de engarrafamento

A cervejaria começou o engarrafamento da sua própria cerveja: a máquina podia engarrafar 6000 garrafas por hora. Garrafas com rolhas iluminadas assim como tampas metálicas. A tampa metálica substituiu as garrafas com rolhas iluminadas e permitiu aos Trapistas pasteurizarem a cerveja.

1949

Desenvolvimento da fábrica de limonada

Após a Segunda Grande Guerra todo o setor da cerveja sofreu com a escassez de matérias-primas. Os monges consideraram até mesmo o fechamento da cervejaria. Para complementar a diminuição de renda da cervejaria, foi estabelecida uma fábrica de limonada. Os refrigerantes que eram produzidos eram vendidos sob os nomes da marca Ariston e Whist.

1969 a 1979

Colaboração com outras cervejarias

A cervejaria se tornou uma cervejaria de tamanho médio com cerveja escura, Pilsner, Dormunder, Super e Bock. Devido ao aumento da demanda a cervejaria procurou colaborar com Stella Artois.

1980

Criação do nome da marca La Trappe

A colaboração com Stella Artois encerrou e os monges retomaram o processo de fabricação para suas próprias mãos. Eles introduziram no mercado uma cerveja de alta-fermentação sob o nome de La Trappe: a Dubbel. Nesse mesmo ano também foi introduzida a Tripel.

1989

Modernizando a cervejaria

No final de 1989, foi produzida a primeira cerveja na cervejaria modernizada. Para esse propósito tiveram que ser removidos mais de 100 tanques de fermentação de levedura abertos e antigos e tanques de lager.

1991

Introdução da La Trappe Quadrupel

Introdução da La Trappe Quadrupel. A variedade mais forte da La Trappe (com 10% de álcool). Inicialmente era apenas produzida no inverno, mas, devido a seu grande sucesso, foi rapidamente produzida durante todo o ano.

1999

Novas cervejas

Em 1999, a La Trappe iniciou a colaboração com a Bavaria Brewery em Lieshout. Foi adquirida uma nova fábrica de garrafas para assegurar a qualidade das cervejas também no futuro.

2003

Introdução da Witte Trappist

Em 2003, foi introduzida a Witte Trappist: a primeira e única cerveja de trigo Trapista.

2004

Introdução da cerveja La Trappe Bock

Em outubro de 2004, a La Trappe reintroduziu a sua cerveja Bock tradicional. A receita da década de 50 era a base para a cerveja. A cerveja La Trappe Bock ainda é produzida sazonalmente.

2008

Nova sala de degustação

Eram organizadas mais e mais visitas para a cervejaria na cantina. Ou seja, a cantina se tornou a sala de degustação da cerveja Trapista. Desde 1984 o número de visitantes cresceu tanto que foi necessária uma nova Sala de degustação. A Sala de degustação foi projetada como um celeiro de ovelhas, onde tudo começou.

2009

Introdução da La Trappe Oak Aged

A cervejaria reinstituiu uma velha tradição: amadurecimento da La Trappe Quadrupel em barris de madeira. Isto criou um sabor único e complexo que varia de acordo com o tipo de barril.

2009

Introdução da La Trappe Isid’or

Em 2009, na ocasião do 125º aniversário da cervejaria, foi produzida uma cerveja de jubileu especial de edição única. Nomeada em homenagem a Isidorus, a primeira cervejaria de Onze Lieve Vrouw do Mosteiro Koningshoeven. A cerveja Isid’or foi tão bem recebida que foi decidido incluir esta cerveja Trapista na coleção padrão.

2010

Introdução da La Trappe PUUR

A cervejaria introduziu a La Trappe PUUR: uma cerveja Trapista com sabor leve, de aroma lupulado fresco com 4,7% de álcool. Produzida a partir de ingredientes orgânicos de alta qualidade.

A receita para La Trappe PUUR surgiu de uma combinação entre a persistência contínua pela qualidade superior e uma devoção apaixonada pela cerveja, na qual a boa administração é o principal foco da criação de Deus.

2013

La Trappe Jubilaris

Esta cerveja Trapista única da La Trappe foi produzida especialmente e apenas uma vez por ocasião do 25º aniversário de Dom Bernardus. No dia 20 de agosto de 1988, Dom Bernardus fez seus votos com 20 anos.